O livro digital e o mercado editorial cada vez mais plural

Hoje ao combinarmos livro e digital logo pensamos nos e-books, e formatos digitais do livro. Em consequência de lê-los em dispositivo eReader, projetados exclusivamente para a leitura de livros eletrônicos.

Falando de livro e tecnologias:

  1. O namoro do livro e das tecnologias digitais já tem algumas décadas… Em 1971 surge a primeira biblioteca digital “Projeto Gutenberg”… Em 1985 surge o primeiro Software de desktop publishing, uma grande revolução que permitiu diagramar com visualização instantânea na tela de computador e imprimir em alta resolução. A partir daí a digitalização da produção gráfica disparou. Já em 2012, quando a Ar Editora iniciou suas atividades, já tínhamos no Brasil gráficas que permitem a impressão por demanda (a partir de 1 exemplar a tendo arquivos digitais como matriz);
  2. O livro impresso sobreviveu ao cinema, ao rádio, a televisão, a internet e agora ao livro digital, que na verdade é uma extensão da internet, uma dinâmica para tornar a leitura de um livro digital de forma confortável. Mas há muitas pessoas que lêem que preferem o tradicional livro impresso, surpreendendo os entusiastas da tecnologia, mas sem grande surpresa para todas as revoluções das novas mídias, ainda ouvimos rádio, vamos aos cinemas e vemos televisão também…

O livro digital chegou para ficar, pois facilita que a informação chegue até o leitor. Mas o livro digital não é só o que está na tela, o impresso teve seu processo de desenvolvimento facilitado pelos meios digitais e sua disponibilidade ampliada devido a impressão sob demanda. Estamos em um panorama em que podemos pensar que a possibilidade da disponibilidade de um livro, independente que no formato digital ou impresso, é infinita, que não há um limite para a expansão da variabilidade de títulos disponíveis.

A partir dessa conversão digital o mercado editorial alinha-se com a nossa sociedade que é cada vez mais complexa e plural. Na evolução dos catálogos há cada vez mais espaço para autores de toda origem e assim gerando disponibilidade de títulos para todos os leitores. E é nesse panorama em que a Ar Editora colabora, sendo um canal de dar liberdade para as palavras.